“Ah e tal, isso dos makers… Uma cambada de nerds e geeks (notem a distinção), de óculos na ponta do nariz com a cabeça enfiada nos computadores e nas caixas das ferramentas…”

Sim, eu ouvi isto. E já não é mau de todo pois a pessoa em questão já tinha ouvido falar de makers coisa que nem sempre acontece quando se fala desta comunidade de pessoas que se dedica à ideia do faça você mesmo.

Evento de makers ou “jolas” e bikinis?

Na aproximação do grande evento da comunidade maker em Portugal, a Lisbon Maker Faire 2015, levanta-se a questão: porque raio haveria alguém de trocar um belo dia de praia, sol, “jolas” e bikinis pela possibilidade de estar com uma série de Professores Pardal, a falar de impressoras 3D, boards Arduino e Raspberry Pi’s?

É certo que a comunidade maker nem sempre se promove da forma mais eficaz. Talvez se comunicar mais para além do seu próprio universo, talvez se mostrar mais da aplicação prática das ideias no mundo do comum dos mortais, a ideia generalizada sobre quem são os makers possa mudar.

Haverá certamente muitas formas de o fazer mas, considerando que é um dos trending topics do dia (pelo menos em determinadas comunidades – Reddit, o mundo está de olhos em ti) e, aproveitando a observação que serve de mote a este tópico, pensei em esclarecer, de forma adequada, o cavalheiro que a fez e todos os outros quantos possam ter a mesma dúvida.

Makers SexyCyborg Saia com luz

Makers SexyCyborg Saltos Altos com luz

Depois de projectos como a mini-saia com luz interior ou os sapatos de salto alto luminosos, a maker chinesa que dá pelo nome de SexyCyborg apresenta o seu mais recente projecto: Wu Ying Shoes.

Makers SexyCyborg Cybersecurity Wu Ying Shoes

Sim, sapatos outra vez. E impressoras 3D também. Mas desta vez, SexyCyborg vai mais além e dá uma lição sobre ciber-segurança, fala-nos de social engineering e de USB keystroke recorders…

makers sexy cyborg Wu Ying Shoes 1

makers sexy cyborg Wu Ying Shoes 2

O projecto detalhado da maker SexyCyborg está apresentado aqui com mais alguns detalhes aqui. Ainda assim, e sabendo que eventualmente pode haver quem não esteja interessado em ler mais, deixo desde já aqui algumas dicas dadas pela própria SexyCyborg:

Lembrem-se senhoras – se estão a pensar em tornarem-se makers, aprender a escrever código ou fazer hardware – se uma rapariga como eu consegue, quão difícil será?

… e sim, são falsas.

Agora a pergunta que se impõe: quem vai visitar a Lisbon Maker Faire 2015?

p.s. Obrigado João Neves, pela referência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*