E isto é mesmo muito a sério. Acreditem.

Tenho uma colega grega que, caso casasse com um português, veria a vida certamente muito facilitada. Tudo o que ela quer de momento é tirar a carta de mota. Só isso. Ela já tem carta de condução de ligeiros. Mas é uma carta grega… Pois. Isso aqui não vale de muito… Já vão entender porquê.

Aparentemente, cá por terras que já foram d’El Rei , ninguém conhece a Republica Helénica. Grécia ainda lá vai que não vai mas Republica Helénica? Não passaria pela cabeça de ninguém chamar Republica Helénica a um pais que se chama Grécia certo? Isso era o mesmo que chamar Reino dos Países Baixos à Holanda…

Eu percebo que, caso um documento de identificação, digamos, um Bilhete de Identidade, esteja escrito unicamente na língua original do seu pais, a coisa possa levantar questões. Nunca vi um Bilhete de Identidade da China (Republica Popular da China) mas imagino que, a estar todo em mandarim, seja complicado de o entender. No entanto, custa-me a perceber que, estando o referido Bilhete de Identidade claramente escrito também em Inglês (Inglês que raio, não é Cirílico), ninguém o entenda.

Há mais de duas semanas que vejo esta minha colega andar de porta em porta, lojas do cidadão, escolas de condução e outras que mais, só para se poder inscrever para tirar o raio da Carta de Condução de Mota.

Não é a primeira vez que ela me conta histórias, relacionadas com esta aparente ignorância nacional no que à Grécia se refere. De peripécias nos aeroportos à cabine da bilheteira da CP (sim, ela pode viajar por toda a Europa com o Bilhete de Identidade da Grécia mas, graças à nossa extremamente apurada politica de segurança , ela não pode ter um passe social da CP. Era só o que faltava…), não bastava já toda a gente lhe perguntar se é espanhola, ucraniana ou moldava (Deusas, ela é grega que raio. Não tem nada a ver) e ainda tem agora que (e por esta não esperavam vocês), solicitar à embaixada da Grécia em Portugal, um certificado em como a Grécia faz parte da União Europeia. É isso mesmo. A ultima coisa que lhe pediram foi, um certificado da embaixada grega confirmando que a Grécia faz parte da União Europeia.

Digam lá que não é lindo o nosso pais? Mais, o nosso pais onde, estudamos a cultura grega no ensino obrigatório (ao contrário de tantos outros em que certamente aceitam o Bilhete de Identidade da Grécia como um documento de identificação válido)… É lindo ou não é?

Se no fim de tudo isto eu vos disser que a minha colega, que está em Portugal há quase dois anos, fala perfeitamente português (daquele perfeitamente comprovado por exames feitos na universidade e tudo…), então ai, está o bolo composto, com cereja em cima e tudo não vos parece?

Nota: Segundo a Georgia, quando precisou de tratar do Numero de Identificação Fiscal (ao fim e ao cabo, ela precisa de pagar impostos certo?), não teve qualquer problema. Foi um instante e não houve quem não reconhecesse a autoridade da Republica Helénica…

E então? Quem quer casar com a grega? Nem que seja só por uns dias, para ela tirar a carta de mota e aproveitar para pôr outros documentos em ordem…

14 thoughts on “Quem quer casar com a grega?

  1. Só posso dizer uma coisa “como eu te compreendo”… (por estas e por outras que há 20 anos tenho dupla nacionalidade).

  2. olá!
    Apanhei esta conversa muitos meses depois, pode ser um bocado ao lado, mas tento a minha sorte :P Neste momento estou a viver na Grécia, Creta até Junho, e o meu namorado é Grego. Ele está a pensar ir depois para Portugal trabalhar. Georgia ou restantes, sabem de algum sitio que possa dar informações, nomeadamente sobre ofertas de trabalho? Ele acabou agora medicina.. A embaixada pode ajudar nesses contactos e burocracias. Fica só o apontamento que uma coisa que me faz “sentir em casa” aqui é a burocracia e o devagarinho devagarinho a tratar as coisas. beijinhos

  3. @Filipa: Quanto à tua pergunta, lamento mas não tenho resposta. Vim aqui como ex-patriada e assim não tinha que procurar trabalho. Além disto, a minha área profissional não tem nada a ver com medicina. Suponho que a embaixada PT em aténas pode dar info relativamente aos hospitais e as clínicas em portugal, o processo de contratar empregados ou pelo menos contactos que vos possam ajudar. Mais, talvez encontres nos sites respectivos a mesma info e o que é preciso para alguém poder trabalhar como médico no país. (o teu namorado pode enviar CVs aos hospitais privados embora eu acha que neste caso a língua deve ser um prerequisito).

    ps: Conhecento bem o meu país (e mais de tudo a Creta), posso apostar que há mais coisas lá que te fazem “sentir na casa” apesar da burocracia e o devagarinho a tratar as coisas :)))))

  4. muito obrigada pela ajuda!! Eu vou agora de férias a Lisboa, duas semanas, vou fazer todo esse trabalho de investigação:P Ele já tem as bases de portugues, o que facilita muito, e medicina é uma area que em Portugal ainda está bem.
    Adoro Creta e adoro as pessoas de cá:) realmente sinto-me muito bem recebida e em casa! mas também tenho muitas saudades de Portugal, e adoro a minha vida aí! Posso sempre ter duas casa:)

    Boa sorte em tudo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*