Assisti esta madrugada ao episódio piloto de The Big Bang Theory. A série não é nova. Estreou nos Estados Unidos em Setembro de 2007 mas, com tanta oferta, é natural que algumas demorem mais que outras a chegar à TV cá de casa.

Gosto muito de comédias. Acho que o formato série, com episódios de 25, 30 minutos, é excelente para comédias.

Mas a comédia não é fácil.

Adepto incondicional de Frasier, esperei muito tempo até ficar completamente agarrado a outra comédia e isso aconteceu com 30 Rock (alô televisões nacionais? Como é possível que isto ainda aqui não tenha aparecido). Algum tempo depois surgiu Weeds e a partir de então fiquei efectivamente necessitado de uma dose regular de comédia.

O factor nerd + loira.

Resolvi experimentar The Big Bang Theory esta noite. A série gira à volta de dois amigos que partilham um apartamento e a sua nova vizinha do outro lado do corredor. Não, não temos Friends outra vez. Em The Big Bang Theory os dois amigos, Sheldon e Leonard, são dois jovem cientistas geniais e a sua nova vizinha, Penny, é uma escultural loira que gosta de calções curtos e trabalha numa fabrica de cheesecakes.

The Big Bang Theory - Dois nerds e uma loira

Sendo que os dois amigos são completamente anti-sociais conhecendo pouco ou nada da vida no mundo real, Leonard ainda tem resquicios de humanidade e apaixona-se à primeira vista pela loira vizinha passando a ter reacções típicas (as possíveis para um verdadeiro nerd) de um apaixonado. Já Sheldon é o estereotipo levado ao extremo e verdadeiramente neurótico.

Nerds a valer.

A coisa começa bem pois cedo se troca a companhia da vizinha pela visualização da segunda temporada de Battlestar Galactica. Ainda que já tivessem visto os episódios (sacados em divx da net certamente), agora os dois amigos iriam poder ver de novo mas com os comentários audio da edição em DVD…

De referir ainda que Sheldon e Leonar, assim como os seus dois amigos Wolowitz e Rajesh Koothrappali (sim, estes nomes são do melhor que pode haver) são fluentes em Klingon…

Estereótipos.

Já tinha aqui referidos os estereótipos certo? Certo. Parece-me que The Big Bang Theory vive um pouco disso mas e depois? Quem é nerd sabe quem não todos são tão nerds como aqueles que ali são representados e quem não é, bem, quem não é não sabe mas também não interessa muito. O que interessa é que dê para uns bons momentos de distração certo?

Bem, estou cheio de sono e vou para a cama e como tal, a finalizar: Se gostei da série? Gostei. Deu para rir um pouco. Um pouco leia-se. A ver vamos os próximos episódios no que darão…

19 thoughts on “The Big Bang Theory – 2 Nerds, uma loira.

  1. Boas…
    Sobre o bbt ainda não tenho uma opinião completamente formada. Só vi 3 episódios até agora e até me pareceram melhorar de episódio para episódio… A ver vamos depois de apreciar mais alguns.

    IT Crowd comecei a ver mas por alguma razão que não recordo agora deixei ao fim de um ou dois. Talvez vá dar uma olhada aos arquivos mais antigos e ver o que encontro. Spaced confesso que não conheço mas já estou a tratar disso… Se o meu caro syrin diz que é magnifico…

  2. *cof* A syrin *cof*

    E já agora, Spaced não só é magnífico, como os dvds vêm com umas legendas especiais, que valem a pena ver. Visto que a série tem imensas referências ao cinema, tv, cultura popular, bd, etc…, os produtores criaram umas legendas especiais, onde vão enumerando todas essas pequenas homenagens. Se não fossem essas legendas, no episódio dedicado aos filmes de guerra não tinha apanhado nem metade das referências. ;)

    Por isso recomendo ver Spaced com as legendas especiais, de forma a poder apreciar verdadeiramente a loucura que é a série. Ah, e recomendo também distância da versão americana que querem fazer… há coisas que deviam ficar só pelo original. :s

  3. Huummm… Miss syrin, bem, diga lá de sua justiça que raio de edição devo eu comprar de Spaced. Na amazon.co.uk há um monte delas diferentes…

    BUGabundo, as duas séries que referes ultimamente são já parte do calendário de boo disposição aqui de casa…

    p.s. Não há por ai séries sobre o mau serviço prestado pelos bancos não??? De preferência séries inglesas tipo BBC…

  4. Adorei sua análise da série. Acho fantástica. Mas entendo algumas pessoas aqui do Brasil que não conseguem se divertir com ela. Muitas das piadas se baseiam em referências da literatura, do cinema, etc e não são todas as pessoas que as conhecem, e acabam por não encontrar a graça.
    Em um dos episódios um dos personagens quer proteger suas pipocas no cinema, e cita uma das falas de Charlton Heston na primeira versão do “Planeta dos Macacos” de 1968 (“Take your stinking paws off me you damn dirty ape!”).
    Em outro, Sheldon cita o Mestre Yoda, do Star Wars, ao encontrar um jovem aluno asiático que supostamente era mais genial do que ele (“Eu sinto um distúrbio na força!”).
    Em outro eles abordam o romance de H. G. Wells, descrevendo os Morlock e os Eloi, etc. Pessoas que não conhecem essas referências certamente acharão os episódios tolos, e desistirão do programa, muito embora ainda lhes restem as cenas com choques culturais entre a moça e os rapazes, que apesar de serem piadas mais superficiais, me arrancam boas risadas vez por outra.

  5. Boas Jorge. Tens razão pois claro. Aliás, um dos factos que me leva a gostar tanto desta série é precisamente a quantidade imensa de referências a clássicos da Geekness universal…

    Mesmo cá por Portugal, não me parece que seja série de grande sucesso pela mesma razão. Será mais uma série para um nicho de mercado… Por mim, tudo bem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*