Desde os seus 3 anos que a Patrícia faz questão de me lembrar a promessa que lhe fiz de ver com ela “O Senhor dos Anéis”. Nessa altura, já não sei a que propósito, numa qualquer conversa, disse-lhe que nesse filme existiam umas árvores gigantes que se mexiam e falavam. Ficou como referência. O filme das árvores que mexem e falam. E dificilmente temos uma conversa versando cinema (sim, de quando em vez é tema) sem que a promessa que lhe fiz seja lembrada.

Esta manhã, já nem me lembro em que contexto, digo-lhe que no “O Senhor dos Anéis” há criaturas verdadeiramente assustadoras, guerreiros monstruosos. Pergunta então a Patrícia, com a curiosidade típica dos seus 6 anos e com um sorriso na cara: “Assustadoras como? Tipo múmias zombies guerreiras?”. Sim, claro. Porque não. Tipo múmias zombies guerreiras. Nem o próprio Tolkien se lembraria de tal. A Patrícia sim.

Estou verdadeiramente desejoso que seja fácil para ti ler legendas na televisão. Temos tanta coisa para ver…

Desde os seus 3 anos que a Patrícia faz questão de me lembrar a promessa que lhe fiz de ver com ela “O Senhor dos

Aneis”. Nessa altura, já não sei a que propósito, numa qualquer conversa, disse-lhe que nesse filme existiam umas

arvores gigantes que se mexiam e falavam. Ficou como referência. O filme das arvores que mexem e falam. E

dificilmente temos uma conversa versando cinema (sim, de quando em vez é tema) sem que a promessa que lhe fiz seja

lembrada.
Esta manhã, já nem me lembrando do contexto, digo-lhe que no “O Senhor dos Aneis” há criaturas verdadeiramente

assustadoras, guerreiros monstruosos. Pergunta então a Patrícia, com a curiosidade tipica dos seus 6 anos e com um sorriso na cara:

“Assustadoras como? Tipo mumias zombies guerreiras?”.
Sim, claro. Porque não. Tipo mumias zombies guerreiras. Nem o próprio Tolkien se lembraria de tal. A Patrícia sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*