Uma breve leitura da Introdução deste livro (que nesta edição portuguesa de 1966 se apresenta em dois volumes) e facilmente percebemos que Sam Moskowitz “vivia” a ficção científica.

Mary Shelley, Julio Verne, Allan Poe ou mesmo Cirano de Bergerac são, antes de se apresentarem por suas palavras, apresentados por quem os investigou, estudou, comparou e certamente tirou um enorme prazer de tudo isso…

Sam Moskowitz guia-nos por entre os mundos do fantástico, do gótico, do romantismo ao realismo e mostra-nos que tais viragens na história nem sempre se deram da forma mais obvia.

Agora, à leitura que se faz tarde.

One thought on “Obras Primas da Ficção Científica

  1. Completamente verdade. O Sam Moskovitz não era um académico, e sim um fá, mas um fã que sabia bem o que dizia e escrevia. Tinha algum preconceito relativamente à ficção científica mais experimental e mais próxima da fantasia que surgiu a partir dos anos 50 (e especialmente nos 60, com a New Wave), mas isso é um pormenor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*