Os limites do bom senso já há muito foram ultrapassados nesta situação do Barclays Bank como todos os que acompanham os meus artigos bem sabem.

Na passada Quarta-feira foi-me dito telefonicamente que hoje, Sexta-feira, o Barclays Bank teria uma posição oficial sobre o assunto. Logo nessa altura informei que assim sendo, voltaria a contactar a Provedoria no dia de hoje.

Aguardei até às 11 e 30. Pareceu-me que seria desespero um contacto logo à abertura. Bem podia, segundo o que me informou a senhora que me atendeu, aguardar até às 6 da tarde…

A pessoa que me pode responder, a funcionária do Barclays com quem falei na Quarta-feira, não está disponível. Pedem-me que aguarde. Não posso mais aguardar é o que lhes digo. Quero uma resposta. Resposta não temos…

Não me sabem responder sobre o que quer que seja. Referem que o dia ainda não acabou. Que aguarde até à parte da tarde. Quando lhe digo que voltarei a contactar às duas da tarde, a resposta? “Às duas? Isso é muito cedo… Lá para as cinco, ou seis…“. Muito bem, e se não me atenderem ou se me disserem que a pessoa em questão já saiu de fim-de-semana? Com quem posso reclamar? Dê-me um nome… Nada.

Ainda me dizem que já estou a entrar no campo da suposição… Em que campo quer o Barclays Bankque eu entre quando não tenho nada de concreto? Quando após os mais variados contactos não tenho uma só resposta?

Mas afinal quem é que manda ali?

Aparentemente não há ninguém hierarquicamente acima da pessoa com quem falei. Pelo menos, ninguém disponível. Achei particularmente engraçado a risada que gerou (não da pessoa com quem falava ao telefone mas sim de quem lá perto estaria) a minha referência ao nome do CEO do Barclays Bank, Peter Mottek.

Penso que a pessoa com quem eu falei talvez não tenha tido formação em técnicas de comunicação mas eu, por acaso tive. A técnica usada de repetir tudo o que o Cliente diz ao telefone não é das melhores…

À minha sugestão de prestar uma visita pessoalmente à Provedoria do Cliente do Barclays Bank tive como resposta um claro não vale a pena pois provavelmente não veria a minha situação resolvida.

O que dizer nestas situações? O que fazer quando nos dizem que a única coisa que nops resta é aguardar mais um pouco e quando pedimos para nos definirem pouco nos dão como resposta, uma hora, uns dias,  quem sabe…

Pela tarde teremos certamente mais desenvolvimentos…

5 thoughts on “A saga continua. Barclays sem resposta.

  1. Entretanto já me perdi, na sequência de toda essa situação, o que poderá impedir a realização do que vou sugerir…mas porque raio não encerras a conta e partes para outra?

    Repito…já não me recordo se a tua relação bancária com o Barclays te permite ter essa opção…se sim, até poderá ser uma boa forma de pressionar o banco.

    Eu compreendo que tenhas todo o direito de reclamar aquilo que te é devido, face ao que se passou com o cartão…e aquilo que continuas a perder ao tentar resolver a situação??

    A má publicidade está ganha por parte do Barklays (e BarclaysCard) e essa guerra parece-me ganha por ti…

    Dado o arrastar da situação…a mesma já merecia um processo judicial contra essa entidade bancária…há normas claras do Banco de Portugal em relação a esses casos…mas parece que este caso, mostra que nem tudo corre bem…

    Gabo-te a pachorra e paciência…

  2. Apesar de considerar normal este tipo de actuação no serviço bancário, o teu caso já começa a destoar um pouco.
    Já vimos que fizeste várias diligências sem resultado, mas alguém tem que te atender!
    Insiste com esse Peter Mottek, chateia-o todos os dias e tenta marcar uma reunião com ele!
    Eles “f*d*m-te” a cabeça e que tal fazeres o mesmo?
    Cumps.

  3. Se os sites com conteúdo ilegal são encerrados, será que alguma autoridade com responsabilidades ao ler os teus relatos, não terá de agir? Ou este tipo de acções só funcionam na televisão? Se os procedimentos do Barclays não são os correctos, já deveria haver uma posição por parte de quem regula este mercado.

    Espero sinceramente que tenhas melhor sorte nos próximos tempos, mas o que se tem visto é uma total impunidade.

  4. Phil, Sergio e Daniel: Antes de mais as minhas desculpas por só agora responder aos vossos comentários mas, como em quase tudo, mais vale tarde do que nunca.

    Não adiantou de muito reclamar junto do Peter Mottek ou mesmo do Banco de Portugal. De ambos recebi a mesma resposta ou seja, nada.

    Ainda assim, a minha reclamação teve resultados, positivos, melhores do que os esperados por muita gente. Deles vos falarei em breve pois ainda aguardo desfecho de uma das questões fundamentais no processo.

    De qualquer maneira, o que mais há daqui a guardar é o quanto algumas instituições ainda ignoram o poder da Internet e a noção de que aqui, qualquer um pode ter a palavra e que, se tiver razão, a palavra facilmente se faz ouvir em alta voz…

    Mais vos direi em breve.

    O meu muito obrigado pelo apoio.

  5. Aguardo o desfecho da epopeia!!!
    No 3xpress0 desta semana, vem uma entrevista ao Mottek. Não li, ouvi um amigo a comentar sobre a expansão do banco em PT e pouco mais. Só está disponível on-line para assinantes.
    Pode ter interesse, quem sabe, para se rir um pouco!
    Cumps.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*